fbpx

Acupuntura

A acupuntura é uma terapia milenar originária da China, que consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo com um fim terapêutico, tratando doenças e promovendo saúde.

Com a inserção das agulhas nestes pontos específicos do corpo é possível regular o fluxo energético (qi) do organismo, de forma a recuperar o bem estar físico e psicológico, tratando desta forma um conjunto de patologias.

A Acupuntura estimula as terminações nervosas existentes na pele e nos outros tecidos, enviando desta forma mensagens até ao cérebro, o que desencadeia diferentes efeitos no corpo, como por exemplo ação analgésica ou anti-inflamatória, o aumento da circulação local, com melhoria da oxigenação e do aporte de nutrientes aos tecidos. A este nível de atuação local há também estimulação da atividade do Sistema Imunitário. A sua ação terapêutica é conseguida através da mobilização do próprio potencial do organismo.

A acupunctura é uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa, englobando esta também a fitoterapia, a massagem tuina, a dietética, o exercício físico chi kung e aconselhamento no estilo de vida.

Atualmente sabe-se que a acupunctura tem efeitos profundos a todos os níveis do sistema nervoso, desde os nervos periféricos, medula espinhal e cérebro, nomeadamente a nível do sistema límbico (um conjunto de áreas do cérebro relacionadas com as emoções), do hipotálamo e da hipófise, bem como do córtex cerebral.
Foi também bem estabelecida a atuação a nível de um conjunto de áreas do Sistema Nervoso Central, que quando ativadas, inibem/ influenciam, a transmissão da dor desde a medula espinhal para o cérebro.

Organização Mundial de Saúde recomenda a Acupuntura para:
– Perturbações do Humor como Depressão;
– Perturbações da Ansiedade; 
– Dor de cabeça; 
– Dismenorreia; 
– Reações adversas a tratamentos oncológicos; 
– Rinite alérgica;
– Cólicas biliares; 
– Epigastralgia aguda (de úlcera péptica, gastrite aguda e crónica, e espasmos gástricos); 
– Dor facial; 
– Hipertensão; 
– Dores articulares;
– Dores lombares; 
– Náuseas e vómitos; 
– Dores cervicais;
– Dores temporomandibulares; 
– Periartrite do ombro;
– Dor pós-operatória; 
– Artrite reumatóide; 
– Dor ciática; 
– AVC.

(SPMA, 2013)